Novidades na loja: Adote um focinho carente!

Olá pessoal,
Já temos novidades na lojinha mais fofa do Adote um Focinho Carente, para ajudar os inúmeros animais resgatados .
São itens a partir de R$ 5,00

Shop Sale Items

Participou, Ganhou e Recebeu!

Vera Munhoz, ganhadora do sorteio da Trilogia Sereia de Vidro, enviou foto dos livros recebidos.
Obrigada Vera, aproveita bem a leitura!


Resultado do Sorteio 67 - Coleção Sereia de Vidro

Bom Dia queridos leitores!
Peço desculpas pelo atraso no resultado, porém comecei no emprego novo, e está muito corrido. 
Mas aqui está o resultado.
Foram 138 inscrições contando com as chances extras.

E o número sorteado é:


Que corresponde a:


Parabéns Vera Munhoz!
Cumpriu todas as regras e ganhou com chance extra em ter compartilhado a imagem do sorteio.

Entrarei em contato via e-mail, e você terá o prazo de 72hs para responder com o envio completo de seus dados, caso contrário, o sorteio será refeito entre os mesmos participantes!

Obrigada a todos pela participação!

Resenha do livro: Uma chance para recomeçar - Diana Scarpine




Editora: Pandorga
Ano de Edição: 2016
Páginas: 432


Sinopse: Carina é uma workaholic risa e bem-sucedida cuja vida se resume ao trabalho. Afogada em estresse, ela não se importa com a solidão que habita seu coração, pois o amor nunca foi uma das suas prioridades, até que algo inusitado acontece. Repentinamente, ela se vê privada do trabalho e deseja aplacar a solidão que a consome, principalmente quando conhece Aurélio, que a trata de uma forma diferente da qual ela está acostumada. Consumido pela tragédia que vitimou sua família e deixou-lhe seqüelas físicas e emocionais, Aurélio não quer nada além de se afundar cada vez mais na dor e na culpa que sente. Suas certezas começam a ficar abaladas à medida que Carina se aproxima cada vez mais dele. Quantos obstáculos precisam ser vencidos para recomeçar? O amor é capaz de vencer as amarras do passado e o preconceito?
   

Resenha:
O livro narra a estória de duas pessoas tão diferentes, mas que ao mesmo tempo parecidas por ambos viverem em completa solidão.
Aurélio aprisionado há dez anos pela culpa do acidente em que resultou na morte de sua esposa e filha. O acidente o deixou com muitas sequelas, resultando em uma cegueira permanente e o corpo e rosto praticamente coberto por cicatrizes, o que fazia com que ele usasse uma máscara no rosto para escondê-lo. Aurélio não vivia, apenas existia, se tornou um reflexo quebrado da pessoa que ele fora um dia. Desde o acidente, vivia enclausurado e sustentando um amor pela esposa já falecida. 
Aurélio trabalhava como massoterapeuta em uma clínica, era extremamente amargurado, ríspido e ele próprio era preconceituoso consigo mesmo.
Até que um dia o destino decidiu mostrar a ele e a Carina, uma jovem rica, de status, presidente da Rede de Supermercados de sua família; que haveria sim uma chance para ambos recomeçarem.
Carina era bela, porém escondia sua beleza através das roupas largas que usava e do seu vício pelo trabalho. Vivia estressada, sua vida se resumia apenas ao trabalho, não tinha muito contato com a família e nem tinha amigos, era extremamente tímida e anti-social.
Carina havia tirado férias e viajado para tentar se libertar de todo o estresse que sentia, assim como sua vida, um completo vazio.
Certa manhã, acordou com um lado de seu rosto paralisado, sentia-se ainda mais como uma aberração, de pronto logo marcou uma consulta e voltou para sua cidade. A clínica na qual ela passara a fazer fisioterapias, era a mesma clínica em que Aurélio trabalhava como massoterapeuta. 
Certa vez, Carina acabou se esbarrando em Aurélio e caindo em seu colo. Dali em diante, surgiu uma amizade entre eles, e mesmo Aurélio resistindo algo começou a mudar. 
O relacionamento deles era extremamente conturbado, Carina e Aurélio viviam numa batalha diariamente de pesamentos,o que acabou por deixar a leitura um tanto cansativa e repetitiva, muitos pensamentos, inúmeras suposições e nenhum diálogo. Aurélio me deixava muito irritada, enquanto Carina era admirável, forte e corajosa, lutava pelo amor dele, mas os mal entendidos tornou tudo mais complicado ainda. Porém, diante de todas as adversidades, o amor foi mais forte, Aurélio sabia que só poderia ser feliz novamente, se ele mesmo se aceitasse e largasse os próprios preconceitos de lado. Aí sim, ele e Carina poderiam ter uma chance para recomeçar e construir uma família!
Nesse livro, muitas coisas me chamaram a atenção, a autora tratou sobre a deficiência física e visual, a dificuldade dos deficientes devido a má estrutura das localidades, o abandono de obras, e a dificuldade na qual os deficientes passam todos os dias ao saírem de suas casas. Temas estes que, a maioria de nós nem sequer paramos para pensar. O livro e a estória em si é uma grande reflexão, e nos mostra também o quão gratos devemos ser a Deus todos os dias, por podemos enxergar, ouvir, falar, sentir e andar!


Parabéns pelo livro Diana Scarpine, e meu muito Obrigada pela maravilhosa oportunidade em tê-lo lido!

Entrevista de Janeiro - Autora Nacional Diana Scarpine

Boa Tarde queridos leitores! Esse ano pretendo trazer entrevistas com os nossos autores nacionais. Em cada mês será entrevistado um/a autor/a diferente.
E esse mês a autora que nos cedeu uma entrevista é a mais nova Parceira aqui do Blog. A autora Diana Scarpine, que já têm duas obras publicadas.
Confira a entrevista: 


1- Diana, nos fale um pouco sobre você.
Diana Scarpine: Eu sou uma pessoa comum que, como todas as pessoas, tem sonhos e já passou por dificuldades da vida, que gosta de ficar com a família, ler e escrever e que acha que os livros são uma das melhores coisas da vida, pois eles nos divertem, nos fazem refletir, geram conhecimento e abrem as portas da nossa imaginação.

2- Em que momento você percebeu que seu destino era ser escritora?
Diana Scarpine: Não houve um momento específico. Comecei a escrever aos 13 de idade, porque não me sentia representada nos livros que eu lia na época. Eu escrevia para mim mesma (não pensava em publicar); pois achava que ser escritora era um sonho impossível, uma vez que eu via pouca literatura nacional de autorescontemporâneos publicada. O cenário começou a mudar, mas ainda falta muito para que autores nacionais sejam valorizados como merecem.

3- De onde vêm os seus personagens, são inspirados em pessoas reais ou em fatos?
Diana Scarpine: Meus personagens não são inspirados em pessoas reais. Procuro me inspirar nas pequenas coisas da vida, no cotiano, na vida simples, pois gosto de construir personagens verossímeis que fazem com que, ao final da leitura, as pessoas se perguntem: é uma história real ou baseada na vida real?

4- No início, algum escritor ou livro te influenciou?
Diana Scarpine: Eu gostava e ainda gosto da forma como Machado de Assis conversa com o leitor. No início, me inspirei muito nele; mas depois fui abandonando as influências dele e de outros autores para construir meu próprio estilo de narrativa.

5- Qual de suas obras, ou personagens é seu favorito? Por quê?
Diana Scarpine: Amo minhas histórias e os meus personagens. Meu personagem preferido é Henri de “Entrelace: Caminhos que se Cruzam ao Acaso”. Quanto ao livro favorito, fica difícil escolher entre “Uma Chance para Recomeçar” e “Entrelace: Caminhos que se Cruzam ao Acaso”. Acho que amo os dois igualmente.

6- O que você mais gosta nas próprias histórias?
Diana Scarpine: O meu combate ao preconceito de uma forma geral; mas principalmente meu combate ao preconceito contra as pessoas com deficiência.

7- O que te inspira na hora de começar uma nova história?
Diana Scarpine: Inspiro-me no cotidiano como um todo, ou seja, não sei como, nem de onde a inspiração vem. Não procuro por ela, ela me encontra.

8- Qual é a sensação de ir a uma livraria e encontrar seu livro à venda?
Diana Scarpine: Eu me sinto emocionada e, se pudesse, mostrava o livro a todos.

9- Atualmente, está cada vez mais difícil publicar um livro, principalmente devido a motivos financeiros. Qual foi a sua maior dificuldade na publicação de seu livro?
Diana Scarpine: Acho que a maior dificuldade dos autores nacionais é se manter com o seu trabalho de escritor. A maioria não consegue e eu, até agora, não consegui. Então, na maioria das vezes, não dá para você se dedicar como gostaria à escrita. Você tem que ter outra profissão ou não consegue sobreviver. Esse é o meu caso.

10- Quanto tempo demora a escrever um livro?
Diana Scarpine: Varia. Demorei nove meses para escrever “Entrelace: Caminhos que se Cruzam ao Acaso” e três anos para escrever “Uma Chance para Recomeçar”.

11- Como surge, ou de onde vem a ideia para escrever um livro?
Diana Scarpine: Não vem de uma única ideia. É um conjunto de ideias que vão surgindo aos poucos e tomando forma. Por exemplo: a primeira ideia (inspiração) para “Uma Chance para Recomeçar” foi ter visto a desenvoltura de um cego ao atravessar a rua. A história surgiu aí? Não. Eu me lembrei várias vezes dessa cena por uns 4 anos (mais ou menos) e não sabia por que. Até que compreendi que precisava escrever algo relacionado a isso. Mas o quê? Eu não sabia, até que outras ideias/cenas foram me inspirando e se juntando a essa.

12- Você se sente realizada como escritora?
Diana Scarpine: Sinto-me realizada em relação aos meus livros e quando um(a) leitor(a) me envia um e-mail ou mensagem dizendo que gostou dos meus livros. Com a profissão em si, ainda não me sinto realizada; pois a vida de escritora nacional não é nada fácil. Mas espero que, um dia, sejamos mais valorizados e reconhecidos.

13- As pessoas te reconhecem como escritora?
Diana Scarpine: Nos lugares em que vou, ainda não fui reconhecida como escritora.

14- Se você pudesse deixar uma mensagem para aqueles que sonham um dia escrever um livro, qual mensagem deixaria?
Diana Scarpine: Leia bastante, escreva sobre o que você gosta e conhece, pesquise sobre o que vai escrever, seja persistente e não desista dos seus sonhos.


E aí meninas, gostaram de conhecer um pouquinho sobre a Diana?
Eu fiquei muito feliz pela oportunidade em conhecê-la! 
Devemos valorizar os nossos autores nacionais, e fazê-los conhecidos, não é verdade? Como a própria Diana descreveu: O autor nacional é pouco valorizado e reconhecido no Brasil. 
Devemos quebrar esse paradigma!!

Muito Obrigada pela entrevista Diana, e te desejamos muito Sucesso!

Recebi da Parceria/Autora Diana Scarpine!!


Boa Tarde queridos leitores! Recebi da autora Diana Scarpine, esse maravilhoso exemplar do livro: Uma chance para recomeçar!




Estou completamente encantada, o livro é lindo!!
Aguenta coração meninas, porque vem resenha em breve!

Muito Obrigada Diana Scarpine, pela confiança no blog.

Novidades na loja Antonio Bijuterias!




Colar ponta feito de pedra natural pedra da lua e fio encerado ajustável.
Preço: R$ 7,00




Colar regulável feito com a pedra da lua e rede no fio encerado.
Preço: R$ 7,00



Colar feito com pedra natural coral no fio de náilon e bolinhas em abs.
Preço: R$ 35,00



Pulseira Artesanal Feita com Contas de Madeira.
Preço: R$ 6,00